Síndrome do coração partido: saiba o porquê o estresse emocional intenso pode, literalmente, partir o coração

Não é só na literatura ou em sentido figurado que o coração partido é um problema para o ser humano. Saiba que essa metáfora muito usada para descrever a dor psicológica, também dá nome a uma complicação cardíaca, denominada Síndrome do Coração Partido.

A Síndrome do Coração Partido, também conhecida como Miocardiopatia Takotsubo, segundo a cardiologista Drª Sylvia Baetz, “ nada mais é do que a alteração de motilidade do músculo cardíaco em toda a sua extensão médio-apical com ausência de lesões obstrutivas em artérias coronárias”, explica.

Este processo, resulta em um aspecto de contratilidade miocárdia deficiente, que se assemelha muito à armadilha usada no Japão para pesca de polvo, o Takotsubo, por isso o nome.

A Miocardiopatiade Takotsubo foi classificada como Cardiomiopatia Adquirida Induzida por Estresse, isto porque a grande liberação de adrenalina em situações de estresse emocional intenso gera uma contração incorreta do ventrículo, resultando na deficiência.

Gatilhos para a Síndrome do Coração Partido

Fatores que induzem ao estresse emocional intenso são gatilhos para a Síndrome do Coração Partido, devido à sobrecarga adrenérgica que impõe sobre o órgão,aumentando a concentração de radicais livres, catecolaminas e endotelina. “Tudo isso pode culminar em uma disfunção endotelial, microvascular e celular”, completa a médica especialista em doenças do coração.

Ainda de acordo com a cardiologista, os gatilhos mais comuns para a Síndrome do Coração Partido, são:

  • Luto
  • Perda de emprego
  • Separações conjugais
  • Roubos
  • Desastres naturais
  • Discussões interpessoais
  • Violência doméstica
  • Surpresas ou sustos

Além dessas situações, estressores físicos como infecções sistêmicas graves, lesão cerebral, abuso de anfetamina e liberação catecolaminérgica por feocromocitoma podem ser desencadeantes para as alterações cardíacas.

A cardiologista também informa que mulheres são mais propensas a apresentar a miocardiopatia de takotsubo. “Mulheres têm risco maior de apresentar a Síndrome do Coração Partido em relação aos homens, principalmente após a menopausa. Isto ocorre devido ao efeito que o hormônio estrogênio oferece ao sistema vascular, gerando a vasodilatação por óxido nítrico”, destaca a médica.

Apesar de a maior recorrência ser em mulheres, a Miocardiopatia Takotsubo também pode ocorrer no gênero masculino, sem distinção de idade ou etnia.

Sintomas da Síndrome do Coração Partido

Para quem está passando por uma situação de estresse emocional intenso, fique atento aos seguintes sintomas:

  • Dor torácica
  • Dor no estômago
  • Perda de apetite
  • Vômito
  • Tontura
  • Dificuldade para dormir
  • Dificuldade para respirar
  • Cansaço excessivo
  • Tristeza profunda
  • Depressão
  • Hipotensão
  • Síncope
  • Sopro cardíaco
  • Arritmias cardíacas

Para o diagnóstico da Síndrome do Coração Partido são solicitados alguns exames, que podem revelar alterações eletrocardiográficas de isquemia, comprometimento da função ventricular, aumento de enzimas cardíacas, inclusive, mostram que não há coronariopatia obstrutiva.

Na Miocardiopatia de Takotsubo, o coração perde a capacidade de bombear o sangue adequadamente, ficando com a musculatura fraca. Isto resulta em um quadro chamado de insuficiência cardíaca.

Diante disto, o paciente com a Síndrome do Coração Partido apresenta sintomas típicos de um coração fraco e insuficiente.

Estes sintomas também podem ser confundidos com o Infarto Agudo do Miocárdio, porém, há muita diferença entre estas disfunções cardíacas.

Síndrome do Coração Partido X Infarto Agudo do Miocárdio

A principal diferença é que na Miocardiopatia de Takotsubo, as artérias do coração não estão entupidas por placas de aterosclerose, como ocorre no infarto. Ao levar o paciente para o cateterismo cardíaco (cineangiocoronariográfica), não é encontrada nenhuma lesão obstrutiva nas artérias coronárias.

A Síndrome do Coração Partido tem cura?

De acordo com a cardiologista Drª Sylvia Baetz, a maioria dos pacientes que sofrem da Síndrome do Coração Partido recupera a função cardíaca após algumas semanas, entretanto, há casos de choque cardiogênico e óbito em um pequeno número de casos.

“A Miocardiopatia de Takotsuboé uma lesão transitória do músculo cardíaco, com duração média de 7 a 30 dias, porém, vale ressaltar, que ela pode ser grave o suficiente para levar o paciente ao óbito. A taxa de mortalidade da Síndrome do Coração Partido é de aproximadamente 5%.”, explica a cardiologista.

O tratamento para a Síndrome do Coração Partido pode ser clínico, funcionando como um suporte para os sintomas, segundo a médica.Entretanto, também é indicado o acompanhamento psicológico, a fim de administrar o estresse.

A cardiologista ainda ressalta, que geralmente são utilizadas as mesmas medicações de casos de insuficiência cardíaca,entre diuréticos e inibidores da ECA. Porém, é extremamente importante seguir orientaçõesmédicas e nunca realizar a automedicação.

É possível prevenir a Síndrome do Coração Partido?

A cardiologista Drª Sylvia Baetz explica que não há uma fórmula exata para prevenir a Miocardiopatia de Takotsubo, porém, existem algumas medidas importantes para reforçar a saúde do coração.

Além disso, estar sempre alerta aos sinais, que possam identificar os agentes estressores, inclusive, os sintomas da síndrome, pode fazer toda a diferença.

Entre as medidas que podem auxiliar na saúde do coração, combatendo o estresse emocional, a médica destaca:

  1. Prática de atividades físicas moderadas como caminhada ou corrida (a prática de atividade física deve ser autorizada pelo seu médico cardiologista, a fim de evitar possíveis complicações);
  2. Meditação ou outras práticas que levam ao relaxamento do corpo e mente, como ouvir músicas, ler um livro;
  3. Descanso de pelo menos 6 horas de sono por noite;
  4. Priorizar momentos de lazer e interação social, que minimizam o estresse.

Controlar o estresse e estar em paz pode ser um dos melhores caminhos para evitar complicações cardíacas, incluindo, a Síndrome do Coração Partido.

Além disso, outra dica importante é realizar periodicamente uma avaliação médica completa, a fim de analisar a saúde do coração. “É importante iniciar os cuidados com a saúde do coração desde cedo, através de uma boa alimentação, prática de atividades físicas e controle do estresse emocional. As avaliações cardiológicas com exames podem ser iniciadas a partir dos 30 anos. Caso haja histórico de cardiopatas na família, os check-ups devem começar precocemente, seguindo uma rotina mais efetiva”, alerta a cardiologista.

A médica cardiologista Drª Sylvia Baetz é integrante do corpo clínico de Cardiologia e Clínica Médica do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Hospital Nove de Julho e Hospital Sírio Libanês. Além disso, é Plantonista do Pronto Socorro Adulto do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, todos localizados em São Paulo – SP.